O que você precisa saber sobre alteração de regime de tributação

O que você precisa saber sobre alteração de regime de tributação

É fato que a gestão financeira de uma empresa é uma das peças primordiais para o seu bom desenvolvimento e visibilidade no mercado. Nesse sentido, é importante que os empresários e colaboradores que trabalham com a parte contábil do negócio estejam conscientes acerca da alteração de regime de tributação, visto que, isso pode influenciar nas vendas da empresa.

Diante disso, é importante que aquelas microempresas que estão começando agora as suas atividades no mercado de trabalho tenham controle das entradas e saídas do seu negócio bem como do montante e das transações realizadas.

Está gostando do conteúdo apresentado? Então, prossiga a sua leitura e fique por dentro de mais novidades!

O que é o regime tributário?

O regime tributário é um sistema que estabelece a cobrança de tributos de cada CNPJ e isso varia de acordo com o montante de arrecadação. Atualmente no Brasil, os sistemas mais adotados são: Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional. Logo, cada um deles tem suas particularidades e cabe a você escolher aquele que melhor se encaixa no perfil da sua empresa.

Simples Nacional

Esse tipo de tributação é o indicado para empresas pequenas que registraram no ano anterior com receita bruta igual ou inferior a R$900 mil, ou microempresas com rendimento inferior a R$4,8 milhões. Desse modo, nesse regime serão cobrados os tributos referentes à União, município e Estado.

Lucro Presumido

As empresas que optam por esse sistema se baseiam nas presunções sobre o faturamento que é calculado com a base do IRPJ E CSLL. O percentual de recolhimento do imposto varia de 1,6% a 32% de acordo com o funcionamento da instituição. As companhias que, por sua vez, tiveram um rendimento anual de menos de R$78 milhões por ano devem adotar esse tipo de tributação.

Lucro Real

Nesse tipo de regime tributário os impostos são cobrados conforme o lucro real que a empresa teve. Diante disso, são estudadas todas as receitas do negócio, não apenas as despesas. A regra de apuração do IRPJ E CSLL é feita em empresas que têm um faturamento anual superior a R $78 milhões.

Como é feito o regime de tributação?

Essa alteração é feita por meio de um profissional especializado, como um contador que fica responsável por toda a gestão financeira da empresa. Assim, ele pode cancelar a opção de regime atual e aderir ao novo. Essa mudança só pode ser realizada no início de cada ano, dentro dos prazos que são divulgados pela Receita Federal, geralmente, até o fim do mês de janeiro.

Em casos mais específicos de empresas que desejam entrar ou sair do Simples Nacional o cancelamento é feito pelo portal oficial. Agora, tratando-se do Lucro Real e Presumido, a opção é feita através do pagamento da quota ligado no Documento de Arrecadação de Receitas Federais.

Qual a importância do planejamento financeiro?

Com esse tipo de gestão, o empresário conseguirá fazer uma projeção detalhada das receitas e despesas de um determinado período, analisar de maneira criteriosa o cenário do seu negócio, saber quais são os pontos a serem melhorados e quais as metas ainda não foram alcançadas.

Somado a isso, o planejamento financeiro ajuda o empreendedor a ter uma maior clareza no que se refere às movimentações financeiras e consegue também avaliar o nível de satisfação dos clientes, afinal, a peça mais importante de um empreendimento é a aceitação dos clientes.

Por fim, agora que você já sabe um pouco mais sobre a alteração de regime de tributação, na hora de escolher um desses sistemas para aplicar em sua empresa, opte por aquele que mais se adapta a realidade do seu negócio. Além disso, o app da Tiquei pode auxiliar na gestão e escolha dessas ferramentas.

Gostou do post? Então não perca tempo, entre em contato conosco e tenha mais informações!

Se junte ao universo Tiquei

#somosmulti #somostiquei

Baixe gratuitamente: