Case MaxMilhas: como a empresa se tornou gigante

Case MaxMilhas: como a empresa se tornou gigante

A MaxMilhas, plataforma de compra e venda de passagens aéreas com desconto por milhas, referência de sucesso no ecossistema do empreendedorismo, nasceu sem investimento externo, e tornou-se um modelo de organização que alavancou com recursos próprios. E pensar que a grande motivação que levou ao surgimento da empresa foi uma tentativa frustada do empreendedor em ir à casa de sua namorada.

A empresa MaxMilhas se destaca por ser um case nacional de bootstrapping, ou seja, a tarefa de começar um negócio de maneira autossuficiente, sem ajuda de investidores.

Continue a leitura e saiba como a MaxMilhas se tornou gigante!

Como surgiu a MaxMilhas?

Max Oliveira, sócio-fundador da MaxMilhas, marketplace de comercialização de milhas aéreas, chamou atenção no Case 2016, a partir de suas palestras a respeito do conceito de bootstrapping.

O próprio investidor deixou claro que o termo surgiu no século XIX e consistia em um acessório para ajudar a colocar as botas. Contudo, com o passar do tempo, o termo foi adquirindo diversos significados metafóricos. No ecossistema de startup, o termo quer dizer que a startup está crescendo com verba própria, isto é, que não conta com ajuda de outros empreendedores.

Esse é o caso da MaxMilhas, localizada em Belo Horizonte. A ideia foi do próprio criador, que trabalhava em diversas organizações fora de sua cidade natal e sempre retornava para casa para ver sua namorada, seus amigos e sua família.

Entretanto, certa vez, ao tentar realizar o pagamento de uma passagem cujo preço inicial era de R$ 100,00, houve uma pane no sistema, e o valor da mesma passagem passou para R$ 500, situação que aconteceu com várias pessoas.

Contudo, é necessário destacar que Max era considerado “pão duro” e, ao perceber como o preço tinha subido, logo pensou em uma alternativa para realizar a viagem, visto que não pagaria aquele valor de jeito nenhum. Ele pensou em pedir milhas a um tio ou a um amigo. Porém, no final, acabou não viajando.

A partir desse episódio para fazer a viagem, Max decidiu evolucionar o setor aéreo no país com vendas de milhas. Ele tinha um objetivo de negócio muito claro e isso foi primordial para o seu crescimento via bootstrapping.

Como a empresa cresceu e se destacou ?

No início do projeto, Max levantou diversas hipóteses que começaram a ser testadas para fazer o negócio crescer. Assim, já no segundo mês, em fevereiro de 2003, a startup cresceu 385 %: de sete passagens compradas em janeiro, passou para mais de 30 mês seguinte.

A principal finalidade da plataforma era agir rápido, de forma que nenhum cliente saísse afetado. Então, em alguns contratempos, a equipe conseguia reverter o ocorrido; já em outras situações, era necessário até realocar o passageiro em outro voo.

Uma das principais tentativas da empresa foi a retirada de passagens dentro do tempo por parte dos vendedores de milhas. Assim, a MaxMilhas passou a proporcionar aos interessados a alternativa de otimização desse processo por meio do fornecimento de login e senha do programa de fidelidade. Com isso, a instituição acreditava que seria possível fazer o negócio alavancar.

O modelo de negócio da MaxMilhas ganhou destaque no ano 2013 e, em 2014, a startup cresceu mais de 800%. De 3 mil passagens retiradas no primeiro ano de operação, existiu um salto para mais de 18 mil passagens emitidas no ano seguinte.

É necessário frisar que o empreendedor Max Oliveira foi claro ao dizer que é preciso acreditar de fato na empresa para realizar uma boa tomada de decisão. Como a estrutura é enxuta na época de bootstrapping, o tempo é sempre pequeno, e a avaliação de cenários necessita de agilidade. Foram esses cuidados que garantiram o sucesso da MaxMilhas.

Gostou do nosso post? Então, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais e deixe os seus amigos por dentro dessa história!

Se junte ao universo Tiquei

#somosmulti #somostiquei

Baixe gratuitamente: