Open Banking no Brasil: o que é preciso saber sobre o assunto?

Open Banking no Brasil: o que é preciso saber sobre o assunto?

Depois do PIX, sistema de transferências e pagamentos que revolucionou a forma como os brasileiros movimentam dinheiro, a próxima promessa de inovação no setor está no chamado open banking.

Por isso, apontamos neste conteúdo tudo o que é preciso saber sobre o open banking no Brasil para você acompanhar sua implementação ao longo das diferentes etapas do processo e se preparar para o que está por vir. Vamos lá!

Entenda o que é o open banking

O open banking (uma referência em inglês a algo como “sistema bancário aberto”) é um sistema de compartilhamento de informações bancárias entre instituições financeiras.

A partir disso, os bancos terão acesso a uma quantidade maior de informações, o que permitirá a eles refinar os serviços oferecidos aos clientes. Do outro lado, os clientes passam a assumir o controle sobre seus dados e podem decidir se essas informações serão compartilhadas entre as instituições financeiras.

Tudo isso será feito por meio do que é chamado de API (Application Programming Interface), plataforma que integra de forma segura todos os dados e permite o desenvolvimento de novas aplicações feitas sob medida para diferentes necessidades, respeitando os princípios do open banking.

Saiba como anda sua implementação no Brasil

O open banking já foi regulamentado no Brasil e sua implementação segue uma série de etapas, que vão sendo acrescentadas de forma progressiva, conforme indicamos abaixo:

  • primeira fase, desde 01/02/2021, envolvendo o compartilhamento de informações entre instituições financeiras;
  • segunda fase, desde 13/08/2021, consentimento e compartilhamento de dados dos clientes relativos a serviços financeiros (contas e cartões de crédito, por exemplo).
  • terceira fase, desde 29/10/2021, integração de diferentes formas de pagamento;
  • quarta fase, desde 15/12/2021, compartilhamento de demais serviços bancários (como previdência e seguro) e certificação da interface;

A última fase vai até dia 25 de março de 2022, de acordo com o cronograma do Banco Central. De acordo com resolução desse mesmo órgão, são obrigados a participar do open banking os grandes bancos, os bancos digitais, instituições financeiras de pagamento e cooperativas de crédito.

Prepare-se para os seus impactos

O open banking trará impactos positivos tanto para consumidores quanto para as instituições financeiras. De um lado, os clientes terão total liberdade para levar suas informações entre diferentes empresas e com isso ter acesso a serviços personalizados e com melhores condições.

Já as empresas poderão calibrar ainda mais suas ferramentas de análise de risco e decidir com mais tranquilidade sobre fazer ou não uma operação financeira com determinado tipo de cliente, de acordo com suas perspectivas comerciais.

Em relação aos pagamentos, o open banking facilita a utilização de ferramentas digitais para efetuar compras. Já desde a fase 3, por exemplo, é possível pagar uma compra pela internet por meio do PIX sem abrir o aplicativo do banco, com toda a transação feita dentro do site da loja.

Com isso, a expectativa é de que o open banking crie oportunidades de negócio, reduzindo a burocracia e dando mais agilidade para pessoas e negócios, algo fundamental para o desenvolvimento do país.

Você já tinha ouvido falar do open banking? Deixe nos comentários sua experiência com essa nova tecnologia.

Se junte ao universo Tiquei

#somosmulti #somostiquei

Baixe gratuitamente: