4 plataformas de marketplace para continuar trabalhando na crise

  • Post Category:Vendas
4 plataformas de marketplace para continuar trabalhando na crise

Plataformas de marketplace são lojas virtuais que reúnem vários fornecedores conectando-os diretamente aos seus consumidores. Desse modo, tanto os compradores têm a oportunidade de obter valores mais acessíveis, quanto os produtores/vendedores têm uma melhor margem de lucro.

Assim, muitos lojistas escolhem vender em uma marketplace com a finalidade de elevar suas vendas. Contudo, muitos deles não tem ideia do verdadeiro impacto e das potenciais mudanças que podem acontecer em seu negócio. Sendo que as principais vantagens alcançadas são: visibilidade, alto retorno, aumento das vendas, baixo investimento, entre outras.

Nesse sentido, continue a leitura e conheça 4 plataformas de marketplace para continuar trabalhando na crise!

1. Mercado Livre

Comercializar no Mercado Livre é um dos primeiros caminhos que os vendedores buscam na internet, visto que a plataforma é enorme, reúne várias categorias de produtos e já é bem conhecida entre a população brasileira. O cadastro é feito de forma simples e é possível colocar produtos a partir de R$ 6 reais à venda.

É fundamental destacar que no Mercado Livre o lojista não precisa pagar nenhuma taxa para vender algum produto, mas, caso ele deseje que o seu anúncio tenha uma maior visibilidade, vai ser necessário pagar uma tarifa caso o item seja comprado. As taxas variam entre 11% no plano clássico e 16% do valor da venda no plano Premium.

2. Magazine Luiza

O Magazine Luiza, conhecido no mercado como Magalu, apresenta mais de 35 milhões de acessos por mês. Para conseguir anunciar na empresa, é preciso que o seu cadastro passe por uma avaliação interna e seja aprovado. É primordial que sua empresa tenha pelo menos um ano de criação, esteja com seu CNPJ regularizado e não tenha nenhum débito na Receita Federal.

A taxa a ser paga gira em torno de 13%, mas pode elevar dependendo da opção de parcelamento fornecido ao consumidor e das opções de adiantamento do pagamento.

3. B2W

A B2W é uma das empresas mais tradicionais do comércio eletrônico e junta as lojas Americanas, o Shoptime e o Submarino. Por causa dessa abrangência, esse é um dos mais eficientes marketplace para vender seus produtos. Logo, é importante frisar que vender no B2W faz com que várias pessoas encontrem a sua loja online, visto que o tráfego nesses sites é elevado.

Para que você consiga se cadastrar na plataforma é preciso ter um CNPJ e tirar uma nota fiscal eletrônica e Certidão Negativa de Débitos. A organização cobra uma taxa fixa de 16% em cima de cada venda, considerando também o preço do frete.

4. Via Varejo

O Via Varejo reúne grandes instituições, como Extra, Casas Bahia, Pontofrio Atacado e Barateiro. Esse marketplace pode trazer para o empreendedor uma quantidade significativa de visitas mensais, visto que a loja estará em um dos maiores portais de comércio online do país.

Portanto, existem no país diversas plataformas de marketplace para potencializar seus resultados e conseguir vender mais em um momento de crise. Entretanto, é importante lembrar que é essencial realizar uma integração para fazer uma gestão de sucesso e aperfeiçoar os seus processos. Para isso, um aplicativo para controle de vendas é primordial para que você consiga gerenciar de forma satisfatória sua empresa.

Gostou do nosso post? Está pensando em como aumentar suas vendas? Então, aproveite para ler sobre “Inovação no varejo: 4 tendências para manter seu negócio atualizado!”

Se junte ao universo Tiquei

#somosmulti #somostiquei

Baixe gratuitamente: